Como abrir uma Startup? Aprenda tudo a respeito desse assunto!

Como abrir uma Startup? Aprenda tudo a respeito desse assunto!

Os modelos de negócios estão se reinventando a cada momento e, portanto, quem pretende estar de acordo com o mercado, precisa estar constantemente se atualizando. Um dos modelos que mais tem dado o que falar certamente são as startups. Mas você sabe como abrir uma startup?

Funcionários de uma empresa com as mãos unidas se perguntando como abrir uma startup
As startups estão em constante relevância, e isso tem suscitado algumas questões e dúvidas, em especial entre os empreendedores. Dentre todos os questionamentos, certamente o mais frequente é sobre como abrir uma startup.
(Imagem: fauxels via Pexles)

A realidade é que esse é um assunto que merece determinadas atenções. Afinal, ele é bem delicado e que ainda não é completamente compreendido, e isso acontece pelo fato de ser um conceito novo. No post de hoje você irá aprender tudo a respeito para abrir esse tipo de negócio sem nenhum problema.

O Brasil é conhecido por ser um país extremamente burocrático, mesmo para as coisas mais simples. Por conta disso, é de se esperar que o procedimento de abertura de empresa não percorra o caminho contrário. Porém, além de ter que lidar com essas questões, também é necessário manter um outro cuidado, que é em relação a como abrir uma empresa startup. Nem toda instituição jovem se configura, necessariamente, nessa categoria, e você aprenderá mais sobre esse assunto nesse artigo.

O que é uma startup?

Antes de tudo, para poder saber como abrir uma startup, é necessário saber qual o conceito dessa terminologia. A realidade, porém, é um tanto abstrata, e isso acontece porque há uma certa incongruência no entendimento desse conceito. Esse desentendimento abre precedentes para bastante discussão e até interpretação errônea do seu real significado. Há pessoas que afirmam que qualquer empresa jovem está automaticamente configurada nesse conceito, mas a verdade é um pouco distante desse entendimento.

É fato que uma das características das startups é sim ser uma empresa jovem, mas não os adjetivos são muito mais amplos. Já outros defendem a ideia de que uma startup é aquela empresa que cujo custo de manutenção é baixo, mas que, ainda assim, consegue obter uma progressão financeira relativamente rápida e gerar lucros cada vez maiores. Todos esses conceitos, no entanto, não procedem.

Ao tentar entender esse conceito, pode ser interessante desmembrar e compreender a real etimologia da palavra. Startup, traduzindo do inglês, possui um significa análogo a “começar”, ou “iniciar algo”. Sendo assim, configura-se como uma startup aquelas empresas que iniciaram ou começaram uma proposta inovadora, até então desconhecida. Diante disso, é possível obter o conhecimento que a principal característica desse tipo de negócio é promover algo diferenciado.

Além disso, há algumas outras características que permeiam esse tipo de negócio, e eles são fundamentais para saber diferenciar negócios tradicionais de uma startup. Elas são: modelo de negócio inovador, repetível, escalável e cenário de incertezas. Isso quer dizer que, para abrir uma startup, você deve se encaixar nessas categorias. Abaixo, iremos explicaar com mais detalhe cada uma delas.

Modelo de negócios

Antes de tudo, é necessário dissociar a ideia de que modelo de negócios e planos de negócios são a mesma coisa, pois são conceitos que, ainda que de certa forma se complementem e se pareçam, não são iguais. Um plano de negócios está determinado em se focar em estratégias detalhadas para atingir metas, por exemplo. Já o modelo de negócios tende a focar não exclusivamente no produto, mas também no valor e, consequentemente, na sua rentabilidade.

Pilhas de documento sobre como abrir uma startup e um óculos de grau
Esse é um dos pontos que mais cria dúvidas sobre as startups. Portanto, entenda que, na grande maioria das vezes, o intuito de uma startup é criar algo inovador, pois é isso que irá fazer com que a empresa entre no ramo empresarial com certo destaque.
(Imagem: Kindel Media via Pexels)

Em suma, o modelo de negócios se preocupa em compreender como a empresa soluciona a dor – ou um problema – do cliente de forma lucrativa. Por vezes, o principal desafio do modelo de negócios das startups é criar algo inovador, e é justamente essa a base primordial desse tipo de instituição. É possível que a empresa tente adaptar ou realocar um modelo de negócios para uma área onde não é comumente aplicado ou mesmo criar um modelo completamente novo.

Repetível e escalável

De todas as características que foram citadas, essa é provavelmente a que deve ser levada com mais seriedade. E o motivo para isso é que esses dois fatores são responsáveis de tornar a empresa insustentável, caso seja aplicado de forma errada. Um dos adjetivos mais presentes nos empreendedores é a ousadia, pois nunca se sabe o que o dia de amanhã reserva. Se você trabalha com startup, esse é um adjetivo que deve ser ainda mais trabalhado.

A pergunta que deve percorrer esse tipo de negócio é: “a empresa terá capital para se manter?”. Esse é um questionamento vital, pois um produto repetível e escalável traz diversas vantagens, mas somente quando atinge um público de grande escala, pois essa é a única maneira de garantir lucro de forma rápida.

Por “repetível” entende-se que determinado produto é capaz de ser propagado em alta escala, potencialmente ilimitada. Dentro desse conceito, torna-se inviável muitas customizações ou adaptações, uma vez que a meta principal é multiplicar. Entrementes, ser “escalável” significa dizer que o crescimento deve tomar uma linha crescente e constante, mas sem que isso influencie no modelo de negócios.

Cenário de incertezas

Como já mencionado no decorrer desse artigo, a base de uma startup é trazer uma novidade, ou seja, sair do tradicional. Uma palavra que define muito bem esse negócio e que é amplamente usado é disruptiva, que resume muito bem o fato de tentar sempre se desvencilhar das ideias, modelos ou soluções já estabelecidas. E é justamente por esse fato que, dificilmente, uma startup terá um manual a ser seguido de como obter sucesso.

Não há como afirmar se a ideia do projeto proposto irá realmente deslanchar ou se será bem recebido pela sociedade. O caminho a ser trilhado é cercado de incertezas. E isso quer dizer que todas as posições que o empreendedor tomar será, no mínimo, com poucas certezas.

Pessoas analisando gráficos coloridos de um papel
Um cenário de incertezas praticamente faz parte de uma startup, haja vista que, geralmente por ser um modelo de negócios novo, é difícil conseguir “prever” certas coisas.
(Imagem: fauxels via Pexels)

Portanto, é bom ter em mente que sem um capital de risco, é muito difícil se manter persistente na busca de um modelo de negócio que comece a gerar dinheiro e que se sustente. Porém, uma boa maneira de lidar com esse cenário é o produto mínimo variável, também conhecido por MVP. O objetivo desse sistema é de validar uma solução e ajudar a compreender o que o cliente realmente quer, mas gastando o mínimo possível.

Como é o cenário das startups brasileiras?

É verdade que o conceito de startup não foi formulado no Brasil, mas sim nos Estados Unidos, durante a década de 90. Por isso, internacionalmente, o cenário das startups já está bem definido e, inclusive, há bastante empresa que conseguiu se consolidar no mercado empresarial. Ótimos exemplos de empresas que surgiram durante esse contexto foi a Google, Microsoft e até mesmo o Yahoo!

Porém, é possível que você se questione como está o cenário brasileiro em relação as startups. Se você é um empreendedor e que pretende investir nesse tipo de empresa, é fundamental saber como o mercado brasileiro se comportou com essas novidades. A realidade é que esse tipo de negócio foi implementado somente nos anos 2000, mas só em 2011 que começou a ter o merecido destaque.

Mas, nos dias de hoje, é possível afirmar que esse mercado já está até que bem consolidado e, inclusive, há diversas startups brasileiras para ficar de olho, pois elas demonstram um potencial de crescimento realmente grande. Segundo alguns estudos, o Brasil aumentou o número de startups em 20 vezes, e 11 já são unicórnios, ou seja, que possuem o valor estimado em mais de 1 bilhão. Diante disso, chega-se facilmente na conclusão de que esse tipo de empresa tem se mostrado muito relevante para a economia nacional.

Segundo a Associação Brasileira de Startups (Abstartup), o Brasil tem cerca de 12.700 startups, um crescimento de 27% em relação a 2018, quando estimava que havia cerca de 10 mil. Entretanto, contabiliza-se um aumento de 20 vezes mais se comparado com 2011, ano da fundação da Abstartups, que contabilizou 600 negócios na época.

Portanto, diante desse cenário, é inegável afirmar que esse tipo de negócio tem bastante influência no resultado da economia brasileira, o que mostra que os cidadãos aceitaram bem a ideia dessas instituições, mas desde que apontem para uma solução inovadora. Referências de startups de sucesso é o que não falta e, por conta disso, pode ser interessante conferir algumas das startups brasileiras que você deve ficar de olho, tanto para poder investir nelas ou para saber como está a competição.

Como abrir uma empresa startup?

Como você pôde perceber até aqui, há algumas linhas que você deve seguir para abrir fundar uma startup, pois esse é um conceito um tanto restrito. Ao contrário do que as pessoas pensam, não é qualquer padaria da esquina, por exemplo, que pode se encaixar nesse conceito. Entretanto, nos tópicos seguintes, iremos dar algumas dicas para ampliar o seu entendimento de como abrir uma startup. Confira!

Compreenda o mercado

Antes de iniciar os seus projetos, é fundamental compreender e estudar o mercado. Como já foi dito mais de uma vez no decorrer desse artigo, a base primordial de uma startup é promover algo novo, até então não inventado. Porém, você só irá saber que o seu negócio é realmente inovador se você entender e estudar o mercado do qual você pretende fazer parte. Entretanto, esse estudo não serve unicamente como certeza da autenticidade do projeto.

Pessoas se cumprimentando
A forma mais segura de como abrir uma startup é, antes de qualquer coisa, fazer uma boa análise e estudo de mercado, pois essa é uma forma segura de garantir que a sua ideia é realmente inovadora a que agradará os clientes.
(Imagem: Andrea Piacquadio via Pexels)

Estudar o mercado também inclui compreender uma startup que já está em funcionamento, por exemplo. Ao estudar uma empresa já consolidada, há duas variantes que você pode tirar disso. Um deles é compreender como ela chegou onde está e tomar como instrução e, a outra, é perceber alguma falha da startup e, então, solucionar esse problema e trazer como um diferencial.

Descubra a necessidade do mercado

Novamente voltando à necessidade de compreender o que a sociedade precisa, mas, indo além disso, você deve ter outros dois questionamentos, que são: qual é o público em potencial e o que eles querem. Dessa forma, você afunila o segmento da sua startup e consegue analisar com mais propriedade os seus anseios e necessidades.

Busque por colaborações

O chamado “networking” nunca foi tão necessário como hoje, pois é através dele que você conhece pessoas e, em algumas ocasiões, essas mesmas pessoas podem lhe ajudar a alavancar o seu projeto. Uma boa rede de contatos facilita muito, pois ele pode até trazer alguém que ajude financeiramente a sua ideia. Porém, para isso, é importante que você já tenha a ideia bem formulada e, se possível, tenha pronto o seu modelo e plano de negócios.

Mantenha-se atualizado

Um dos principais adjetivos de uma startup é a volatilidade, ou seja, a capacidade de se reinventar conforme os desejos e necessidades de um coletivo. Tenha em mente que, se sua startup estiver diretamente ligada com o público geral, ele é altamente volúvel e muda constantemente. Portanto, como bom empreendedor, você deve estar sempre se atualizando.

Formalize-se

Iniciar um negócio de forma informal, ainda que seja possível, não é o mais recomendado, mesmo sendo uma startup. Se o processo de formalização não for devidamente feito, pode implicar em diversas consequências, tanto jurídicas como financeiras. O processo para abrir uma startup segue o mesmo trâmite de abertura de empresa. Ou seja, é preciso ter um CNPJ e estar registrado nos órgãos oficiais, como a Junta Comercial, Receita Federal, Prefeitura etc.

O post termina por aqui, mas se você gostou das informações que foram passadas aqui, não deixe de compartilhar nas redes sociais pois, assim, mais pessoas ficarão cientes. No mais, não deixe de se aprofundar cada vez mais nesse assunto, pois estar qualificado para gerenciar uma startup é fundamental.

Renato

Veja Notícias

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente