Guia Imobiliário Para Ajudá-lo a Comprar Um Apartamento

Guia Imobiliário Para Ajudá-lo a Comprar Um Apartamento

Todas as pessoas possuem sonhos que desejam realizar e, ainda que cada indivíduo seja único e possua aspirações diferentes, sempre existirá um ponto em comum: a vontade de adquirir uma casa própria. No entanto, apesar de ser um ponto comum, sabemos que essa realidade possui diversos questionamentos e dificuldades. Pensando nisso, afim de ajudá-lo a comprar um apartamento, resolvemos elencar alguns pontos importantes que devem ser ressaltados no momento da compra.

A realidade das pessoas brasileiras é extremamente diversa. Enquanto uns sonham com a possibilidade da casa própria, outros ainda nem podem se dar a esse luxo. Por isso que, antes de tomar esse passo tão importante, é necessário muita pesquisa e compreender melhor do assunto. Afinal de contas, é somente dessa forma que se conseguirá escolher a melhor opção.

Homem construindo uma pilha de moedas com ua casa em miniatura desfocada ao fundo.

Está querendo comprar um imóvel, mas precisa de algumas ajudas e dicas? Então basta conferir abaixo o nosso passo a passo.
(Imagem: Freepik)

Chegou a hora de comprar um apartamento no Boa Vista, o seu, mas você ainda não sabe por onde começar ou o que fazer para conquistar o seu imóvel? Fique tranquilo que nós preparamos um guia simples e didático, com 8 itens para que não ocorra nenhum problema com o seu investimento, afinal, essa é uma compra que envolve uma quantia de dinheiro considerável e problemas como: financiamento negado, contas vencidas, entregas atrasadas e até mesmo apartamentos danificados podem prejudicar, e muito, as negociações.

Definindo pontos importantes

Antes de começar a pesquisar por imóveis na internet, é fundamental que você tenha em mente o valor que gostaria de investir para comprar um apartamento. Feito isso, é hora de escolher a região da cidade que você gostaria de morar. Ademais, para garantir que você se sentirá plenamente satisfeito com o local em que irá morar, certifique-se de responder as seguintes questões:

  • Esse bairro oferece os serviços essenciais que preciso (supermercado, farmácia, hospital etc.)?
  • O endereço que eu quero é próximo ao meu local de trabalho?
  • Quanto tempo de viagem é daqui até o meu emprego?
  • O bairro é tranquilo e seguro?

É bom salientar que, quanto maior o seu padrão de exigência, maior será o valor que você deverá investir no seu apartamento. Portanto, é interessante cotar o preço de um apartamento que tenha exigências semelhantes que as suas, para que você não seja pego desprevenidamente no futuro. Porém, também pode acontecer de você não encontrar um imóvel que esteja de acordo com todas as necessidades.

Prateleira de um supermercado
Anterior a procurar preços dos apartamentos, pode ser interessante levantar uma lista de quais são as suas prioridades em relação as características do imóvel. Por exemplo, se ele é próximo de supermercados, se passa transporte público próximo etc.
(Imagem: conceptroof via Pixabay)

Nesse caso, você deve elencar quais são as suas reais necessidades. Por exemplo, se você preza mais pela localização do imóvel ou se o apartammento possui áreas comuns como piscina, playground etc. Comprar um imóvel pode ser um processo bastante cansativo e delicado, e é essencial questionar e levantar alguns pontos essenciais, e você conferirá com mais detalhe nos próximos tópicos.

O que preciso levar em consideração ao comprar um imóvel?

Se você está cogitando comprar o seu primeiro imóvel, por ser inexperiente nessa questão, é normal se sentir um pouco perdido. Você precisa saber de alguns pontos fundamentais ao realizar a compra de um imóvel, e para facilitar um pouco as coisas para você, resolvemos elencar esses pontos importantes, basta conferir os tópicos seguintes.

Quanto custa um apartamento nessa região?

A pesquisa é parte fundamental para a compra de imóveis. Por isso, é preciso estar à par do valor dos apartamentos ofertados naquela região – e até no mesmo prédio – que você procura, para entender a quantas anda o valor de mercado e assim conseguir fazer um balanço para que não perca dinheiro e tenha plena certeza de que investiu em um imóvel com preço justo. Ainda, para melhorar o parâmetro da negociação, é possível consultar corretores e imobiliárias. Dessa forma, a procura se torna ainda mais refinada e sem erros.

Parte exterior de um prédio
É muito importante pesquisar qual o valor dos imóveis em determinada região, pois dessa forma você já tem uma melhor noção de quanto é o valor que você deverá investir. Ademais, também não deixe de saber qual é o valor dos apartamentos de uma determinada torre, pois também pode sofrer alteração de preço.
(Imagem: Foundry via Pixabay)

Como você pode imaginar, quanto mais “nobre” o bairro for considerado, maior será o valor que você deverá investir no imóvel. Portanto, é importante saber o quanto você está disposto a gastar. Certifique-se de que a sua renda é compatível com a região que você deseja morar. Porém, não é apenas nessa questão que você deve se manter atento.

Além de ficar de olho no valor do apartamento em determinada região, também é interessante saber o valor dos apartamentos ofertados no edifício. Afinal de contas, o valor pode variar bastante ainda que você procure por apartamentos na mesma torre. Aos que não sabem, geralmente, quanto mais alto o andar, maior é o preço do imóvel. Então, se você quer muito morar em determinado local, mas o dinheiro está curto, pode ser interessante cogitar comprar um apartamento nos andares inferiores.

Financiamento e juros imobiliários

Caso precise realizar um financiamento para comprar um apartamento, realize simulações on-line de empréstimo em bancos que oferecem este benefício, e não se esqueça: a taxa de juros pode mudar de acordo com 3 fatores: renda, valor do financiamento e valor do apartamento. O Custo Efetivo Total (CET) também precisa ser levado a sério porque indica o valor total do financiamento, que inclui taxas e tributos bancários.

Entrementes, também é bom destacar que a taxa de juros varia muito de acordo com o banco que você pretende fazer empréstimo. Portanto, uma ótima dica para esse ponto é você procurar todos os bancos e fazer uma simulação e, no fim, concluir qual é a melhor opção. Mas lembre-se, nem sempre a menor taxa de juros é a melhor opção, atente-se ao Custo Efetivo Total (CET).

Dois homens de terno cinza apertando as mãos
Antes de fechar negócio com determinada instituição, certifique-se de conferir outras propostas, pois pode acontece de outro banco oferecer uma condição melhor. E lembre-se, não foque unicamente na menor taxa de juros, pois há outros tributos que envolvem essa questão.
(Imagem: ccfb via Pixabay)

Afinal, além de mostrar a taxa de juros, ele também informa quanto o financiamento irá custar, o que inclui todas as taxas administrativas e tributos cobrados pelo banco. Uma outra dica é que a grande maioria dos bancos dispõe de uma plataforma online de simulação de empréstimo, e isso irá otimizar muito seu tempo, visto que o poupará de ir presencialmente nas instituições bancárias.

Agora, para finalizar, recomendamos que você preze por fazer o financiamento pelo banco que você tenha um bom relacionamento. Afinal de contas, por eles já conhecerem o seu perfil e por você já ser cliente há um tempo significativo, a probabilidade de oferecerem condições melhores é consideravelmente maior.

Visite o imóvel antes de comprá-lo

Conhecer o imóvel físico com antecedência é imprescindível para que seja possível tirar suas impressões sobre o espaço antes de comprar um apartamento, e ter certeza de que é esse que você realmente quer. A vistoria detalhada do local, antes de bater o martelo, é necessária uma vez que, após a compra, você pode se deparar com paredes lascadas, torneiras quebradas, infiltrações etc., que não estavam lá antes. Esta checagem é tida como prova, caso seja necessário levar o caso à justiça. O proprietário tem por obrigação realizar as manutenções necessárias ou indenizar comprador com dinheiro.

Sala de estar de um apartamento
Ao ir fazer a vistoria do apartamento que tem por vontade morar, não deixe de vislumbrar todos os detalhes. Afinal de contas, se futuramente você enxergar algum defeito que não constava na primeira vistoria, é dever do vendedor arcar com as despesas.
(Image: jeanvdmeulen via Pixabay)

Fora isso, por mais que você tenha visto uma infiniade de fotos e vídeos do local, nada se compara a você ir pessoalmene conhecer o local que irá morar. Afinal, há detalhes que nenhuma imagem é capaz de mostrar. É somente indo até o local que você saberá se é um local com bastante iluminação natural, arejado, quente e diversas outras coisas.

Recomendamos que, ao ir visitar o imóvel, você vá com outra pessoa que seja bastante detalhista, pois é fundamental saber como está as condições atuais antes de fechar o contrato. Pois, como dito, se no momento de você se mudar para o local se deparar com algum detalhe que não estava lá antes, é necessário contactar o vendedor para que ele reponha/arrume o necessário ou indenize o comprador em dinheiro.

Financiamento x Proposta

Como citado no tópico acima, para que o financiamento de imóveis seja aprovado, existem alguns fatores que precisam ser levados em conta, bem como a regularidade do imóvel e do comprador. Caso sua intenção seja comprar um apartamento por meio de um financiamento, não assine nenhum documento de compra antes de conferir se seu crédito foi aprovado pela instituição financeira.

Homem assinando documento com caneta preta
Lembre-se de documentar todo o procedimento do seu financiamento, pois isso poderá ser utilizado como prova futuramente caso seja necessário. Ademais, também é bom alertar que você não deve assinar nenhum documento de compra antes de conferir se o seu crédito foi aprovado.
(Imagem: Sozavisimost via Pixabay)

Se o dono do imóvel, ou seu representante legal – agente imobiliário – solicitar uma segurança de reserva através de um cheque caução, certifique-se de que se ocorrer qualquer problema com a não aprovação do seu financiamento, você poderá reembolsar o valor pago como garantia. Com esse acordo, definido e documentado, é possível evitar conflitos de multas contratuais ou até mesmo, em casos mais difíceis, recorrer à justiça para ter seu dinheiro de volta.

Isso significa dizer que, caso você esteja de acordo e pagar um cheque caução, tenha certeza de obter um documento informando que, caso haja qualquer problema com o financiamento, você irá receber o valor integral de volta. E lembre-se de deixar todos os documentos muito bem guardados e organizados caso seja necessário utilizá-lo em algum momento.

Fique atento ao financiamento

Os juros pagos pelo seu empréstimo variam de acordo com prazo do contrato: mais tempo, mais juros. Segundo o IBEDEC, se no acordo para a compra de imóveis o valor dos juros apresentados corresponde a 10% ao ano, em uma década, o montante recebido será praticamente o mesmo de um imóvel novo, sem contar a correção monetária. É importante lembrar que, quanto maior o prazo do empréstimo, maior serão os juros pagos por ele, e se ocorrer qualquer problema com o pagamento das parcelas – 3 prestações seguidas – seu apartamento irá a leilão e todo o valor pago até o momento será automaticamente perdido, sem possibilidade de resgate.

Malhete de juiz com livro ao lado
Ao se comprometer com o financiamento, se dedique para que todas as parcelas sejam pagas todos os meses, uma vez que, caso acumule 3 prestações sem serem pagas, o imóvel poderá ir a leilão e você não terá direito de receber os valores pagos até o momento.
(Imagem: succo via Pixabay)

Geralmente se recomenda que o prazo do financiamento não seja muito longo, uma vez que quanto maior o tempo, maior será o juros. Ao financiar em 20 anos, você paga em média 3,5 vezes o valor do mercado do imóvel. Então, apesar de parecer ser bastante tentador financiar um imóvel por um tempo prolongado e com parcelas pequenas, ao colocar tudo na ponta do lápis, você perceberá que não é tão atrativo assim.

Diante disso, o que recomendamos é que você dê o máximo de entrada possível e financie pelo menor prazo dentro do seu orçamento. Ademais, também é válido destacar que algumas imobiliárias aceitam carro como entrada, por exemplo, e essa é uma opção bastante interessante, principalmente se o dinheiro que você tem para dar entrada não for muito elevado.

Familiares para ajudar na composição da renda

Se você está pensando em reunir algumas pessoas da sua família – pais, primos, tios etc.-  afim de compor renda para comprar um apartamento e solicitar o financiamento, não se esqueça de que o pagamento das parcelas é um compromisso que deverá ser cumprido, do início ao fim. Caso qualquer uma das pessoas envolvidas precise fazer um empréstimo, a renda deverá ser compatível com o valor solicitado, caso contrário, esse mesmo indivíduo não conseguirá realizar um financiamento. Portanto, tenha isso em mente de forma bem definida.

Retrato de três mulheres negras
Nesse momento é normal procurar familiares para ajudar na composição de renda, e apesar de esse ser um procedimento bastante comum, é importante que todos fiquem sabendo de todas as condições e das limitações que podem ocasionar no futuro.
(Imagem: trevoykellyphotography via Pixabay)

Por exemplo, se o seu irmão o ajudou na composição de venda, se futuramente ele decidir financiar um imóvel, a renda dele deverá ser o suficiente para honrar com as despesas dos dois imóveis, caso contrário, o banco não irá conceder crédito. Portanto, atente-se bastante em quem você irá chamar para compor renda, uma vez que essa pessoa poderá ficar limitada por um bom tempo.

Geralmente se recomenda colocar na composição de renda apenas o cônjuge, uma vez que ambas pessoas estarão dispostas a ficar os anos necessários comprometidos com essa responsabilidade. Mas, caso isso não seja possível, procure colocar na sua composição de renda pessoas que já tenham um imóvel próprio ou que possuam uma vida bastante estável.

Organizando a renda

Para fazer um financiamento, é preciso estar ciente de que sua parcela não deve comprometer mais do que 15% da sua renda. Desta forma, é possível controlar melhor o fluxo de dinheiro e não atrasar nenhuma prestação do seu imóvel. Não se esqueça de que o período de pagamento será longo e que emergências podem acontecer ao longo do caminho. Então, além de planejar o valor mensal das suas contas, é bom calcular um valor para eventuais emergências.

Quadro negro escrito em giz "15%"
O recomendado é que você não comprota mais de 15% do seu salário mensal, afinal de contas, imprevistos podem acontecer, fora as crises e outras intempérie.
(Imagem: geralt via Pixabay)

Muitos bancos tendem a falar para não comprometer mais de 30%, mas é bom ter cautela quanto a isso. Afinal, crises econômicas podem acontecer, e quanto maior o seu cuidado, melhor. Nessas horas, quanto menos você comprometer o seu salário, melhor para não haer surpresas desgradáveis no futuro.

O básico do básico

Conforme você pôde notar neste artigo, comprar um apartamento não é tão simples quanto parece, mas não é tão difícil assim também, basta ter bom senso e se manter informado para não cair em armadilhas na hora de escolher entre os imóveis, o seu apartamento dos sonhos. Também é de extrema importância se manter atualizado no mundo imobiliário, afinal de contas ele também passa por altos e baixos.

Gráfico de barra crescente
Assim como todo mercado, a ramo imobiliário também passa por altos e baixos. Portanto, você pode aproveitar essas oscialações para comprar o seu imóvel no momento correto e esperar o seu apartamento valorizar.
(Imagem: Tumisu via Pixabay)

Inclusive, não é raro encontrar pessoas que afirmam ter comprado o seu imóvel por um valor muito inferior ao do mercado atual. Isso acontece justamente porque o ramo imobiliário passa por situações externas que influenciam diretamente o valor dos apartamentos, casa etc. Diante disso, você pode aproveitar a baixa do mercadopara comprar o seu tão sonhado apartamento.

Renato

Veja Notícias

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente